Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2022

Mentiras de Bolsonaro, por Rodolfo Salm

Zion Real Estate: saiba quem é a empresa que quer construir a Ferrogrão

Imagem
Foto: Munduruku barram audiência sobre ferrovia que pode impactar seu território. 2017. Créditos: Barbara Dias/ Cimi Norte 2. Zion Real Estate: saiba quem é a empresa que quer construir a Ferrogrão  (Especial para o Correio da Cidadania Carro chefe do Mi­nis­tério da In­fra­es­tru­tura (Minfra), pro­jeto de cons­trução de novas fer­ro­vias no Pará não ob­teve su­cesso em Ro­adshow in­ter­na­ci­onal e acabou des­per­tando o in­te­resse de uma única e pe­quena em­presa na­ci­onal de cons­trução de mo­ra­dias, sem ca­pital, re­cursos ou his­tó­rico para a re­a­li­zação de mega pro­jetos de lo­gís­tica. Im­pactos sobre Terras In­dí­genas e áreas de con­ser­vação, e a ju­di­ci­a­li­zação de­cor­rente de ambas, podem ter sido as causas da falta de in­te­resse es­tran­geiro. Ferrogrão: a dupla mão da destruição Telma Monteiro Cerca de R$ 40 bilhões é o valor previsto de investimento em obras de logística, só no Pará, conforme os projetos do governo federal. No Pará, em especial, o Ministé

CorreioCast 11: Ferrogrão (EF-170) e a exploração da Amazônia

Imagem
CorreioCast 11: Ferrogrão (EF-170) e a exploração da Amazônia   Ministério de Infraestrutura utilizou-se de fake news para vender megaprojeto a investidores estrangeiros em 2021. O corte ao meio que pode promover ao longo da região amazônica, atravessando diversas terras indígenas e áreas de proteção ambiental, gerará incontáveis impactos socioambientais. Para compreender esse megaprojeto, conversamos com a Telma Monteiro, ativista socioambiental, pesquisadora, educadora e colunista do Correio há 10 anos, que realizou uma importante pesquisa a respeito da EF-170. Com Telma Monteiro Ferrogrão, ou EF-170, é o nome dado ao projeto de ferrovia, carro chefe do Ministério de Infraestrutura, que cortaria a região amazônica de sul a norte, saindo de Sinop/MT até o porto de Miritituba, em Itaituba, no Pará, na bacia do Rio Tapajós – ao longo de mais de 900 km. Integrado a hidrovias e à rodovia BR-163, a ferrovia faria parte de um grande complexo de transportes, que levaria grãos do agro