Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2021

Áudios terroristas em grupos de mídias sociais

Imagem
Por Telma Monteiro Participo de grupos variados no WhatsApp, Facebook. Grupos locais de comunidades, grupos de esquerda, de fora Bolsonaro, de meio ambiente, e por aí vai. Mas, um episódio me marcou profundamente, não tanto pela gravidade do acontecido mas pela falta de um mínimo de senso de certo ou errado. Numa dessas entradas no grupo, num de WhatsApp local comunitário, uma senhora encaminhou (com o selo de encaminhado o que significa que recebeu e repassou) três áudios terríveis de fake News sobre sete de setembro, alegando que os teria recebido de uma “fonte limpa” da sua comunidade. Eu cliquei no primeiro e me arrepiei logo de início, pois o conteúdo era puro terrorismo. Não fui até o fim do primeiro e indignada sugeri, ou melhor pedi para que os administradores do grupo retirassem os áudios, sem ouvir o primeiro por completo, e nem abri os outros dois imaginando o que c onteriam. Com a postagem da dita senhora, achei que viria uma discussão didática e em alto nível sobre

Bolsonaro foi eleito pelo medo de se repetir um erro que não houve

Imagem
Imagem Tecmundo Por Telma Monteiro Milhões de brasileiros só vivem de esperança de que um dia algo vai mudar e suas necessidades serão atendidas pelo Estado omisso, e o mundo vai ficar mais bonito. Fico assistindo às catástrofes em sequência, às mortes por negligência de governos, às mulheres que choram filhos mortos por balas perdidas, aos moribundos nas portas e corredores de hospitais decrépitos, aos desastres banalizados que já não nos fazem chorar, mas fazem chorar suas vítimas. E a pandemia da Covid 19 imersa num emaranhado asqueroso de descaso, incompetência e corrupção. A feira vulgar de venda de vacinas no Ministério da Saúde, sob o domínio das fardas com cheiro de naftalina, revelada pela CPI da Covid. E, ainda, continuo esperando ver encarcerados os mandantes dos assassinatos de Marielle e Anderson. A lista é interminável, não acabou, as ameaças são cada vez mais escabrosas. Que descobertas nos farão chorar, ainda? O Brasil, meu Brasil brasileiro, canto que não posso esq