Tapajós, Juruena, Teles Pires, Madeira, Mamoré: rios com os dias contados






  • Fazendo pressão política sobre os órgãos licenciadores
  • ingerência das empresas nas suas tomadas de decisões
  • “destravando” os processos de licenciamento
  • atacando o Ministério Público e pressionando o judiciário
  • criando novos conceitos sobre impactos ambientais
  • publicidade enganosa
  • reduzindo áreas protegidas - proposta de novo código florestal
  • Incentivando o aumento das áreas para produção agropecuária
  • Plano Nacional de Mineração 2030
  • pedindo urgência na tramitação do projeto de lei que autoriza mineração em terras indígenas






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Cordel da Energia

CorreioCast 11: Ferrogrão (EF-170) e a exploração da Amazônia

Empresa italiana compra ouro ilegal de Terra Indígena no Pará